Ensino fundamental

A escola fundamental pública recebe as crianças dos 3 aos 11 anos. É composta por nove anos de escolaridade, repartidos por quatro ciclos de aprendizagem. Qualquer criança que viva no Luxemburgo e que tenha completado 4 anos antes de 1 de setembro tem de frequentar uma escola fundamental.

O ciclo 1 inclui um ano de ensino precoce facultativo (3 a 4 anos) e dois anos de ensino pré-escolar de frequência obrigatória (4 a 5 anos). As crianças aprendem luxemburguês ao nível da compreensão e da expressão. O luxemburguês é a principal língua de comunicação na turma. As línguas faladas no agregado familiar são valorizadas e as crianças são também iniciadas ao francês ao nível da expressão oral.

As crianças recém-chegadas ao Luxemburgo com idades entre os 6 e os 11 anos são integradas numa turma regular (também denominada turma de ligação) (ciclos 2 a 4) em função dos conhecimentos anteriores (de acordo com os boletins do país de origem), do percurso escolar, da idade e dos resultados dos testes de avaliação em matemática e em língua materna. Também frequentam o curso de acolhimento para melhorar as competências em alemão e em francês.

Também podem frequentar o ensino internacional público.

Mais informações em:   Offre scolaire dans l’enseignement fondamental (Oferta escolar no ensino fundamental)

Cursos de acolhimento

As comunas oferecem cursos de apoio (para todo o tipo de dificuldades escolares) ou cursos de acolhimento (cursos intensivos de língua para os alunos recém-chegados ao Luxemburgo).

Estes cursos são organizados a partir do segundo ano do ciclo 2. As crianças frequentam aulas em alemão e/ou francês, bem como aulas de iniciação ao luxemburguês. O número de horas de cursos intensivos de língua varia em função dos conhecimentos adquiridos, da progressão e da idade.

Os cursos de acolhimento têm como principal objetivo ajudar as crianças a exprimirem-se em contexto escolar e a poderem frequentar o ensino em alemão e/ou francês. Os alunos devem, assim, desenvolver competências suficientes para ser capazes de:

  • comunicar em situações do dia a dia;
  • participar progressivamente nas atividades pedagógicas propostas na turma, ou seja, compreender os temas desenvolvidos nessa turma.

O dispositivo visa a integração mais rápida possível do aluno numa turma regular. Assim, mal chega, é inscrito numa turma de ligação. O contacto regular com os alunos da turma de ligação favorece a aprendizagem das línguas do país: quanto mais o aluno estiver em contacto com a língua de destino, mais rápidas serão a sua aprendizagem e integração na vida escolar.

Nos cursos de acolhimento, a escolha das línguas de ensino assim como a continuação das línguas são consideradas em função dos conhecimentos anteriores da criança, da sua idade, das línguas conhecidas pelos pais ou tutores e da proximidade da língua materna com a 1a língua a ser aprendida.

No início, o ensino é limitado a um só idioma (francês ou alemão). Em princípio, começa-se com a língua mais próxima da criança, sendo que o principal objetivo é permitir à criança comunicar rapidamente o mais rapidamente possível com os que a rodeiam. Após a aquisição de uma certa fluência na 1.a língua aprendida na turma, é abordado o ensino da 2.a língua.

Cursos complementares de língua portuguesa

Os cursos de língua portuguesa, complementares à oferta escolar regular, destinam-se aos alunos lusófonos dos ciclos 2 a 4.

Os cursos são organizados:

  • na escola frequentada pelo aluno;
  • duas horas por semana fora dos horários letivos.

A língua portuguesa é desenvolvida com base num programa específico de acordo com o plano de estudos do ensino fundamental luxemburguês e o programa de ensino de português no estrangeiro. Os cursos complementares permitem criar uma ligação entre as línguas e disciplinas da escola luxemburguesa e a língua portuguesa.

No que respeita à avaliação, as competências na língua portuguesa são registadas no balanço intermédio do aluno.

Estes cursos de português podem também ser propostos como língua estrangeira (se o número de inscrições for suficiente). Esta oferta destina-se a alunos que iniciam a aprendizagem da língua portuguesa.

Quadro de referência dos cursos complementares de português nos ciclos 2 a 4 do ensino fundamental

Currículo dos cursos complementares de português nos ciclos 2 a 4 do ensino fundamental

Cursos integrados em língua portuguesa

Os cursos integrados destinam-se aos alunos lusófonos dos ciclos 1 a 4. Fazem parte do currículo.

Nos ciclos 2, 3 e 4, estes cursos contribuem para uma maior compreensão de alguns ramos da escola luxemburguesa. Duas horas por semana, os alunos frequentam o programa de introdução às ciências (2.o e 2.o ciclos) e de ciências naturais e humanas (4.o ciclo) em português. Trata-se do mesmo programa para todas as crianças, tal como definido no plano de estudos da escola fundamental.

No que respeita à avaliação, as competências na língua portuguesa são registadas no balanço intermédio do aluno.

Cursos integrados em língua materna: Vademecum destinado às comunas e aos professores

Cursos paralelos de língua e cultura portuguesas

Os cursos paralelos destinam-se aos alunos dos ciclos 2 a 4.

São cursos de língua portuguesa que se realizam fora das horas letivas. 

Durante três horas por semana, os alunos frequentam os programas de português do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e das orientações do QuaREPE – Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro (Grosso (Coord.), Soares, Sousa, & Pascoal, 2011a, 2011 b). 

No que respeita à avaliação, os alunos podem obter um certificado que comprova as competências adquiridas na língua portuguesa.

Cursos paralelos e atividades extraescolares são também oferecidos aos alunos do ensino secundário em alguns liceus.

Interveniente de língua portuguesa no ciclo 1

Com vista a facilitar a integração nas turmas do ensino precoce e pré-escolar com muitas crianças de naturalidade portuguesa ou que falam português em casa, a escola pode recorrer a um interveniente português que garanta uma colaboração regular com o diretor de turma (duas horas por semana, na turma). As experiências práticas em várias comunas mostram que, desta forma, as crianças compreendem mais depressa os temas abordados na turma e sentem-se mais seguras e motivadas.

Todas as línguas das crianças são consideradas como recursos. Assim, o papel do interveniente de língua portuguesa é desenvolver a língua materna das crianças lusófonas e usar as competências linguísticas delas para incentivar a aprendizagem de outras línguas.

O interveniente de língua portuguesa:

  • participa no acolhimento das crianças lusófonas;
  • coordena-se com o diretor de turma para planear as atividades pedagógicas (p. ex., contar histórias em várias línguas, fazer jogos de representação de papéis);
  • informa os pais sobre o desenvolvimento linguístico da criança;
  • participa, se necessário, nas reuniões com os pais.

Todas as línguas das crianças são valorizadas na turma. O domínio de uma língua reforça a autoconfiança delas, motiva-as mais para aprender outras línguas e reforça o bem-estar delas na escola.

Guia "Assistente de língua portuguesa no ciclo 1"

Educação intercultural e iniciação às línguas

Para promover o encontro e o diálogo, há projetos educacionais propostos pelo Centro de documentação e de animação interculturais (IKL).

Recomenda-se aos professores que organizem atividades de iniciação às línguas dirigidas a todos os alunos da turma, com base no folheto « Ouverture aux langues à l'école : vers des compétences plurilingues et pluriculturelles » (Abertura às línguas na escola) (PDF, 5192 kB).

Estas atividades são especialmente destinadas a:

  • despertar a curiosidade dos alunos face às semelhanças e às diferenças entre as línguas;
  • desenvolver as suas capacidades de observação, de análise e reflexão sobre as línguas;
  • aumentar a sua motivação para aprender línguas;
  • encorajar uma atitude positiva sobre a diversidade linguística e cultural.

projeto « Sac d’histoires » (Saco de histórias) visa promover a leitura e atividades conjuntas em família em torno de livros e histórias. O Saco de histórias é preparado na escola e levado pelas crianças para casa; contém um livro para crianças com tradução na sua língua materna; um CD com a história do livro contada nas línguas mais faladas na sala de aula; algumas palavras de explicação para os pais.

Última atualização