Perguntas e respostas: Medidas ligadas ao COVID-19 nas escolas e nas estruturas de acolhimento

Nesta página você encontrará as perguntas e respostas mais frequentes sobre as medidas tomadas no setor da educação.

 

ATENÇÃO: Actualização em progresso ! Para obter informações em francês, pode cliquar aqui.

 

 

 

Questões gerais

Meu filho apresenta sintomas: o que devo fazer?

Seu filho deve ficar em casa se estiver doente ou tiver:

pelo menos um dos seguintes sintomas principais: febre; tosse; dificuldades respiratórias; dor no peito; perda de paladar e / ou olfato sem causa aparente

OU

pelo menos dois dos seguintes sintomas menores: dor muscular; cansaço; rinite (nariz entupido ou corrimento nasal); dores de garganta; dores de cabeça; perda de apetite; diarreia aquosa.

Em caso de dúvida, mantenha o seu filho em casa e contate o seu médico.

Onde posso obter conselhos pedagógicos e informações úteis relacionados com a COVID-19 na Educação Nacional?

Pode colocar as suas questões através do formulário de contacto em www.schouldoheem.lu.

A helpline 8002-9090 permite obter informações gerais sobre as medidas na Educação Nacional, assim como conselhos pedagógicos. Esta acessível durante a semana, das 9h às 12h e das 13h às 16h.

Pode também consultar o site do Ministério da Educação Nacional, da Juventude e da Infância em www.men.lu.

Além disso, tem a possibilidade de acompanhar as notícias em www.covid19.lu.

Onde posso encontrar materiais educativos e ideias de atividades para as crianças online?

O site www.schouldoheem.lu propõe a alunos, pais e docentes uma grande seleção de materiais didáticos, bem como o acesso gratuito a sites com conteúdos pedagógicos de qualidade, de forma a garantir a continuidade das aprendizagens.  

O espaço kannerdoheem propõe atividades e ideias lúdicas e divertidas a realizar com a família ou entre amigos, para crianças de 1 a 4 anos e de 4 a 12 anos. Para refletir, ser criativo, pensar nos outros e estar em movimento, já para não falar dos entusiastas de trabalhos manuais!

Em www.aktivdoheem.lu, encontra dicas para se tornar ou manter-se fisicamente ativo. As atividades enquadram-se em quatro categorias: pais com filhos, adolescentes, idosos e pequenos grupos de crianças.

O site www.kannerzäit.lu reúne várias ideias de atividades de lazer a realizar em família na natureza, em casa, no museu, no teatro, etc., apesar das restrições anti-COVID.

A quem me devo dirigir para obter um conselho ou um acompanhamento psicológico?

A helpline 8002-9393 oferece ajuda e escuta psicológica às crianças, aos adolescentes, aos pais e às famílias em situação de stress, conflito ou esgotamento. Está acessível nos dias úteis, das 8 às 18 horas. Agrupa os serviços do CePAS e do ONE.

O Centro Psicossocial e de Acompanhamento Escolar (CePAS) disponibiliza uma linha telefónica de escuta, conselho e acompanhamento a alunos, pais e professores. São possíveis consultas presenciais, apenas por marcação.

O Gabinete Nacional da Infância (Office national de l’enfance ONE) presta apoio dentro da família, assegurado por prestadores privados que tenham uma convenção com o ONE.

A quem é que devo dirigir caso tenha questões relacionadas com as crianças e jovens com necessidades especiais ou deficiências?

Os assistentes sociais do «Service de la scolarisation des élèves à besoins spécifiques (S-EBS) » estão à vossa disposição.

Estamos disponíveis através do número: 247-85180 ou através do email: social.s-ebs@men.lu.

Como a estratégia sanitária é supervisionada no setor da educação?

Um dispositivo “COVID-19 e Educação” garante o monitoramento sanitário e a tomada de decisão. Organiza-se em torno de uma Unidade de Coordenação do Ministério da Educação Nacional, da Infância e da Juventude que faz a coleta de dados em estabelecimentos de ensino e um Comité Diretivo chamado a tomar medidas adicionais dependendo das situações. O Comité Diretivo inclui especialistas da Inspeção de Saúde, da Direção de Saúde, da Medicina Escolar, da Direção-Geral de Ensino Fundamental, da Direção-Geral de Ensino Secundário, bem como o chefe da Unidade de Coordenação.

Onde posso encontrar informações sobre o Covid-19?

Queiram, por favor, consultar o site www.covid19.lu. Podem igualmente ligar para o número 247-65533.

Uso da máscara (ou de qualquer outro equipamento que tape o nariz e a boca)

Meu filho deve usar máscara na escola?

O uso de máscara (ou qualquer outro dispositivo que cubra o nariz e a boca) é proibido para crianças menores de dois anos e não é recomendado para crianças que frequentem o ciclo 1 (em geral, crianças com menos de 6 anos).

A partir do ciclo 2 (em geral, crianças com mais de 6 anos), o uso de máscara é obrigatório nos transportes públicos e escolares, no interior do edifício escolar, na sala de aula e no recreio. Não é necessário durante as aulas de educação física.

Alguns alunos com necessidades específicas estão dispensados do uso de máscara.

É possível usar qualquer tipo de máscara (buff, lenço, etc.) nas estruturas educativas e escolares?

De acordo com as recomendações da Direção da Saúde, os lenços, os buffs, as máscaras em tecido são autorizados. Devem tapar o nariz e a boca.

O ministério distribui regularmente às escolas máscaras de vários tipos (buffs, máscaras  cirúrgicas, FFP2).

Meu filho deve usar a máscara nos transportes?

As crianças maiores de 6 anos e os jovens devem usar a máscara tanto nos transportes escolares como nos transportes públicos.

 

Testing

Como é organizado o testing na Educação Nacional?

Uma campanha de large scale testing está em curso, destinando-se às crianças e aos jovens com idades compreendidas entre os 4 e os 19 anos, aos professores e aos outros profissionais da Educação Nacional, para garantir um recomeço das aulas depois das férias da Páscoa com toda a segurança.

As pessoas em causa que não receberam convite podem ainda contactar o ministério por correio eletrónico para testing@men.lu, indicando o seu número de beneficiário.

A partir da semana de 19 de abril, os autotestes rápidos são introduzidos nas escolas. Consulte o site www.edutesting.lu.

O meu filho/A minha filha é testado/a regularmente?

A partir da semana de 19 de abril de 2021, e até às férias de verão no dia 15 de julho de 2021, as escolas têm autotestes rápidos para que cada aluno e cada funcionário possa testar-se uma vez por semana. Consulte o site www.edutesting.lu. 

O seu filho/a sua filha vai continuar a receber os convites para ser testado/a no âmbito do Large Scale Testing (teste PCR).

Pode também ser testado/a se a sua turma ou escola tiverem um ou vários casos positivos (teste PCR).

Os autotestes não substituem os outros testes, complementam-nos.

Em que momento as equipas móveis de testing intervêm numa escola?

Quando um único caso positivo surge numa turma, a turma é afastada e os alunos e professores são convidados a ser testados. Ver também a pergunta abaixo “Na escola, o que acontece se houver apenas um caso positivo numa turma devido a contaminação externa? (Cenário 1)”.

Nesta situação, uma equipa móvel pode ter de se deslocar à escola e testar os alunos da turma em questão, no mínimo 6 dias após o último contacto com o caso positivo. Esta intervenção na escola não é automática: depende das disponibilidades das equipas móveis. Receberá uma informação por parte do titular/regente da turma.

As equipas móveis podem também intervir para testar todos os alunos das escolas mais atingidas pela COVID-19.

Mesmo quando o testing é organizado na escola, pode optar por testar o seu filho/a sua filha num laboratório: neste caso, o titular/regente entrega a receita de teste ao seu filho/à sua filha.

Se aceitar que o seu filho/a sua filha seja testado(a) na escola, ser-lhe-á pedido que assine uma declaração geral de consentimento (attestation générale de consentement). Neste caso, a receita de teste não lhe é entregue: é transmitida diretamente ao Laboratório Nacional de Saúde (Laboratoire national de santé) responsável juntamento com o ministério das equipas móveis de testing.

 

Dispositivo sanitário básico nas estruturas de acolhimento

Quais são as medidas sanitárias nas creches e mini-creches?

Os gestos barreira para as crianças

A lavagem das mãos é o gesto barreira principal. Os funcionários sensibilizam as crianças de acordo com a sua idade e mostram-lhes os gestos corretos.

O uso da máscara, bandana (buff) ou lenço é estritamente proibido com menos de dois anos de idade (risco de asfixia). Não é recomendado em crianças com menos de 6 anos, que não o toleram bem. Pode aumentar o risco de infeção porque a criança toca regularmente na máscara e no seu rosto com as mãos. Instruções especiais (como usar máscaras especiais) podem aplicar-se a crianças altamente vulneráveis, seguindo instruções do seu médico.

As atividades decorrem, sempre que possível, ao ar livre.

Na medida do possível, os brinquedos que não podem ser limpos são descartados.

Os gestos barreira para o pessoal

Os funcionários têm de respeitar, dentro do possível, um distanciamento de, pelo menos, dois metros entre eles. Recomenda-se fortemente o uso de máscara, de preferência transparente: é importante que as crianças vejam as expressões do rosto. No entanto, as viseiras não são aceites.

O distanciamento físico e o uso de máscara devem ser cumpridos com qualquer pessoa externa.

Claro que o contacto físico com os bebés é mantido. Com crianças mais velhas, o contacto físico mantem-se possível e necessário (consolar a criança, ajudá.la a vestir-se, etc.). O adulto tem o cuidado de lavar as mãos, eventualmente o seu rosto e o da criança após esse tal contacto físico.

As instalações são cuidadosamente limpas, arejadas e ventiladas.

Na medida do possível, as mesmas crianças devem ser sempre supervisionadas no mesmo grupo.

Estas medidas aplicam-se a todos as creches e mini-creches, tanto públicas como convencionadas.

Quais são as medidas barreira sanitárias nas estruturas de acolhimento para crianças escolarizadas?

As atividades são organizadas, tanto quanto possível, em grupos fixos. No máximo 10 crianças podem participar numa mesma atividade.

As atividades decorrem, sempre que possível, ao ar livre. As atividades de contato são evitadas.

Durante as refeições, no máximo 4 pessoas podem sentar-se à mesma mesa.

O uso de máscaras é desaconselhado em crianças com ciclo 1. É obrigatório para os alunos a partir do ciclo 2 e para os adultos.

As crianças e os jovens são sensibilizados em relação às regras de higiene em vigor (lavagem das mãos, saudação sem toques, etc.).

As instalações são cuidadosamente limpas, arejadas e ventiladas.

Entre os membros do pessoal, sempre que a distância interpessoal de 2 metros não possa ser respeitada, recomenda-se o uso da máscara, bandana (buff) ou cachecol que cubra a boca e o nariz.

As regras de distanciamento social ou o uso da máscara devem ser respeitados com qualquer pessoa externa.

Se a turma do meu filho/da minha filha for isolada porque um dos colegas foi testado positivo para a COVID-19, pode frequentar a estrutura de acolhimento (maison relais)?

Quando uma turma está isolada dentro do estabelecimento de ensino, é recomendado que os alunos não frequentam nehuma estrutura de acolhimento fora do horário letivo.

No entanto, se os pais não puderem cuidar do(s) filho(s) em casa, a estrutura de acolhimento é convidada a receber a criança, isolando-a o mais possível. Se a criança tiver mais de 6 anos de idade, deve usar uma máscara.

Ver também a pergunta abaixo “Na escola, o que acontece se houver apenas um caso positivo numa turma devido a contaminação externa? (Cenário 1)”.

O meu filho ainda não está na escola e frequenta uma estrutura de acolhimento. Teve contacto com uma pessoa positiva na estrutura. O que se passa agora?

Se o seu filho tiver tido contacto próximo e directo (durante 15 minutos ou mais, com menos de 2 metros e sem máscara) com uma pessoa que tenha testado positivo no teste COVID-19, ele será colocado em quarentena.

Ele não pode ir para estrutura de acolhimento enquanto espera pelo resultado negativo de um teste. O teste realiza-se no mínimo 6 dias após o último contacto com a pessoa positiva.

A prescrição para o teste será enviada pela Direção da Saúde.

 

Dispositivo sanitário básico no ensino fundamental e ensino secundário

Quais são as medidas sanitárias em vigor nas escolas ?

Para continuar a controlar o risco de contaminação nas escolas, as medidas sanitárias necessárias aplicam-se :

 

Na sala de aula:

  • uso de máscara obrigatório para todos os adultos e para os alunos a partir do ciclo 2,
  • circulação limitada de alunos,
  • lugar fixo para cada aluno,
  • aeração e ventilação a intervalos regulares, com o devido respeito pela segurança dos alunos,
  • disponibilização de detetores de dióxido de carbono (CO2) destinados a medir a qualidade do ar,
  • limpeza regular de superfícies,
  • higiene das mãos aprimorada (lavagem das mãos antes do início das aulas, após cada intervalo, depois de usar a casa de banho, antes e após cada refeição)
  • higiene social: tossir e espirrar em seu cotovelo, evitar de se tocar (cumprimentar sem apertar as mãos, etc., ...).

 

No recinto escolar:

  • uso de máscara obrigatório para todos os adultos e para os alunos a partir do ciclo 2,
  • pausas de recreio escalonados,
  • limpeza regular de locais sanitárias,
  • redução de contatos fora da sala de aula,
  • reuniões profissionais com mais de 4 pessoas por videoconferência;
  • reuniões individuais para os encontros com os pais de alunos;
  • organização da circulação.

 

Regresso à escola após uma quarentena:

Para poder regressar à escola depois de uma quarentena, o aluno ou o  professor deve apresentar um resultado de teste negativo, realizado a  partir do 6.° dia a contar do último contacto com a pessoa infetada.. Caso se recuse a fazer um teste, a quarentena é prolongada por 7 dias  adicionais.

Retoma-se as aulas de educação física e natação?

Retoma-se as aulas de educação física com medidas de proteção:

  • atividades ao ar livre são privilegiadas,
  • desportos individuais privilegiados,
  • desportos de equipa: grupos de no máximo 4 alunos,
  • uso obrigatório de máscara a partir dos ciclo 2, no caminho, nos vestiários e até o início das atividades,
  • lavagem das mãos antes do início e no final das aulas.

O uso de máscara não é necessário durante as atividades físicas.

Devido às regras aplicáveis a partir de agora nas piscinas, algumas aulas de natação não podem realizar-se. São substituídas por aulas de educação física ou atividades ao ar livre.

Os restaurantes da escola estão abertos?

Os restaurantes escolares funcionam com medidas de proteção:

  • uso de máscara no caminho, até a hora de se sentar à mesa,
  • 4 pessoas no máximo por mesa,
  • lavagem das mãos antes e depois das refeições,
  • buffets self-service proibidos,
  • no ensino secundário, manter os “Frupstuten” em paralelo (refeição quente): os alunos podem comer o Frupstut ou outra refeição em salas de aulas destinadas a este efeito, mas sem ultrapassar 10 pessoas por sala.
Podem ocorrer atividades no perímetro da escola e os estágios?

As saídas pedagógicas de um dia são autorizadas ao nível da turma e dentro das fronteiras do país. O uso de máscara mantém-se obrigatório. Aplica-se o modelo sanitário do prestador.

Os estágios dos alunos do ensino secundário clássico e geral só se podem realizar com o consentimento da empresa em questão.

As provas comuns (épreuves communes) do ciclo 4.2 da escola fundamental vão realizar-se?

As provas comuns (épreuves communes) do ciclo 4.2 da escola fundamental vão realizar-se?

As provas comuns vão realizar-se conforme previsto, entre os dias 11 e 25 de março de 2021.

Se, em meados de março, o ensino à distância tiver de retomar, a orientação dos alunos após a escola fundamental será feita sem as provas comuns, conforme aconteceu em 2020. Ver o procedimento de orientação.

Como funciona o ensino alternado decidido para as turmas superiores?

Para reduzir o número de alunos presentes ao mesmo tempo no liceu, as turmas superiores funcionarão segundo um sistema que alterna o ensino presencial e o ensino à distância de segunda-feira.

Turmas afetadas

  • as turmas de 4.º, 3.º e 2.º do ensino secundário clássico;
  • as turmas de 4.º, 3.º e 2.º do ensino secundário geral;
  • as turmas seguintes da formação profissional: 4TP, 3TP, 2TP, DP1 e DP2.

Alternância

Os liceus escolhem o modelo de alternância:

  • divisão das turmas em grupos A e B;
  • ou alternância para toda a turma entre ensino presencial e ensino à distância.

A alternância faz-se numa base semanal ou diária.

Manutenção do horário semanal em vigor

O horário das aulas semanais mantém-se, não será suprimido qualquer conteúdo, a progressão das aprendizagens faz-se normalmente. Os alunos têm a obrigação de assistir às aulas presenciais e às aulas à distância.

Ensino à distância

Os docentes podem escolher transmitir a matéria em tempo real (streaming) através da plataforma MS Teams. Podem usar qualquer outro meio que lhes pareça mais adaptado (aula filmada, apresentação PowerPoint, etc.). Os alunos que assistem à aula em casa têm sempre a possibilidade de interagir com o docente e os colegas de turma graças às funcionalidades do MS Teams.

Um guia pedagógico sobre o ensino à distância, Roadmap #digital_léieren, destinado aos alunos e aos docentes fornece conselhos para um ensino à distância eficaz.

Avaliação e semestres

Para permitir uma organização das provas de certificação nas melhores condições possíveis, o ano letivo para todas as turmas do ensino secundário (exceto as turmas do último ano) está agora dividido em dois semestres: Ver pergunta abaixo.

Por que motivo o ano letivo é organizado em semestres no ensino secundário?

Para permitir uma organização das provas de certificação nas melhores condições possíveis, o ano letivo para todas as turmas do ensino secundário está agora dividido em dois semestres:

  • de 15 de setembro de 2020 até 12 de fevereiro de 2021;
  • de 22 de fevereiro de 2021 até 15 de julho de 2021.

Por cada semestre, a quantidade de testes na aula é, pelo menos, idêntico ao número previsto inicialmente para um trimestre.

Para permitir aos alunos das turmas finalistas do ensino secundário prepararem-se da melhor forma para os exames finais, estas turmas continuarão a funcionar em modo presencial.

Como funciona o ensino alternado decidido para as turmas da formação profissional?

As turmas da formação do técnico (exceto as turmas finalistas) e as turmas a tempo inteiro dos primeiros e segundos anos de DAP organizam-se de forma alternada (ver também mais acima "Como funciona o ensino alternado decidido para as turmas superiores?").

As aulas são divididas entre o ensino presencial e à distância da forma mais lógica possível: as aulas em oficina, em laboratório e as aulas das formações mistas serão principalmente presenciais; as aulas teóricas e as aulas das formações a tempo inteiro serão principalmente à distância.

Se for aluno-aprendiz num setor não confinado, vai para a sua empresa formadora.

Em relação aos estágios a realizar nalgumas formações a tempo inteiro, a sua viabilidade é avaliada pelo serviço de formação profissional do ministério juntamente com o gabinete de estágios de cada liceu e as câmaras profissionais. É informado pela direção do liceu relativamente à manutenção ou ao adiamento do seu estágio.

O que acontece aos professores e alunos vulneráveis?

Seu médico deve fornecer um certificado atestando que o seu filho seja vulnerável.

Os professores fornecem os materiais necessários para o ensino à distância. Também, o material didático está disponivel no site www.schouldoheem.lu.  

Os professores recebem um certificado de vulnerabilidade dos seus médicos, validado pelo médico do trabalho. Eles ensinam de acordo com as modalidades acordadas com os seus diretores ou com o diretor regional.

Dispositivo sanitário básico no ensino músical das comunas

As aulas de música nas comunas mantêm-se?

As aulas e as atividades do tipo conjunto instrumental/vocal, orquestra, coro, coral, etc. estão suspensas.

As outras aulas, individuais e coletivas, incluindo as aulas de dança acontecem presencialmente com a aplicação de medidas sanitárias rigorosas. Estas medidas estão detalhadas na Communication faite aux établissements d’enseignement musical communal (Comunicação destinada aos estabelecimentos de ensino musical da comuna).

 

Dispositivo sanitário básico nas atividades extra-escolares

As atividades extra-escolares (desporto, escuteiros, maisons de jeunes, etc.) podem realizar-se?

Recomenda-se fortemente que as atividades extra-escolares se realizem apenas ao ar livre.

As atividades no interior com máscara a partir dos 6 anos continuam, no entanto, a ser possíveis quando se destinem a acompanhar e apoiar os jovens com dificuldades em enfrentar a crise atual. O número de jovens no interior deve ser o mais restrito possível Ver as instruções do setor da juventude.

As atividades que incluam pernoitas são proibidas até ordem em contrário.

 

Dispositivo sanitário básico na formação de adultos

Posso continuar a frequentar a minha aula de formação para adultos?

As aulas das formações para adultos continuam a ser organizadas respeitando-se estritamente os gestos barreira, seja presencialmente, à distância ou em modo híbrido (blended learning). (situação no dia 12-02-2021)

Os participantes são informados por quem dá a aula caso haja eventuais alterações na organização das aulas.

Que medidas sanitárias devem ser respeitadas no âmbito da formação de adultos?

O documento “nous protéger - vous protéger - me protéger” descreve as medidas sanitárias que se aplicam à formação dos adultos.

Como obter informações e conselhos relativamente à formação de adultos?

Pode entrar em contacto com o Serviço da formação de adultos por telefone através do número 8002 – 4488 ou por endereço eletrónico sfa@men.lu.

Em caso de necessidade, pode fazer uma marcação no sítio em Kirchberg com um conselheiro na formação de adultos.

Devem evitar-se as visitas sem marcação prévia.

 

Dispositivo sanitário em caso de surgimento de casos positivos nas estruturas educativas e escolares

O que acontece quando há um caso positivo numa creche ou mini-creche?

A criança ou o adulto positivo é isolado em casa. O grupo da criança positiva é colocado em quarentena.

As estruturas de acolhimento para crianças escolarizadas fecham em caso de contaminação?

Pode decidir-se fechar uma estrutura de acolhimento para crianças escolarizadas (maison relais, foyer scolaire) em caso de:

  • foco de infeção na própria estrutura,
  • foco de infeção na escola,
  • aumento importante dos casos positivos na população escolar a nível nacional.
O que acontece se houver apenas um caso positivo numa turma devido a contaminação externa? (Cenário 1)

A pessoa positiva está isolada em casa.

A turma em questão é afastada das outras turmas. Em princípio, não fica em quarentena.

Os estudantes estão dispensados de educação física ou aulas de natação. A turma não vai para o recreio enquanto outras turmas lá estiverem.

É recomendado pelo diretor da Saúde que os alunos do ensino fundamental não frequentam nenhuma estrutura de acolhimento e almocem em casa. No liceu, os alunos em causa comem nas suas salas de aula (possibilidade de encomendar uma Frupstuten).

Os alunos podem continuar a utilizar o transporte escolar, respeitando a exigência de usar uma máscara.

É recomendado pelo diretor da Saúde  que os alunos e professores afetados reduzam os seus contactos sociais fora da escola durante o tempo do afastamento.

As pessoas que estiveram em contacto com a pessoa positiva na escola são identificadas (contact tracing) e são testadas na escola por uma equipa móvel de testing, no mínimo, 6 dias após o último contacto com o caso positivo.

O afastamento termina automaticamente no oitavo dia após o último contacto com a pessoa positiva.

Tem direito a licença por razões familiares extraordinária no âmbito da COVID-19, para guardar o seu filho fora do horário escolar.

Pode um aprendiz cuja turma foi excluída por causa de um caso positivo isolado ir para a empresa de formação?

Quando ocorre um caso positivo isolado na turma, a escola informa a empresa de formação.

Se a empresa não puder garantir que o aprendiz continuará a usar a máscara e a limitar os seus contactos sociais, recomenda-se que a empresa dispense a presença do aluno durante o tempo que dura o afastamento da turma.

O que acontece se houver vários casos positivos numa sala de aula de uma escola? (Cenário 2 e 3)

As pessoas positivas estão isoladas em casa.

A turma é posta em quarentena até ser obtido um resultado negativo do teste.

Recebe uma prescrição médica com a data recomendada de teste em laboratório da sua criança.

Os professores que respeitaram os gestos de barreira não são colocados em quarentena.

O que acontece se houver uma cadeia de infecção na escola do meu filho? (Cenário 4)

Se houver contaminação de várias pessoas no seio da escola, medidas de proteção adicionais podem ser postas em prática sob proposta do Comitê Diretivo “Covid-19 e Educação” (especialistas do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação Nacional, da Infância e da Juventude).

Podem ser:

  • colocação imediata em quarentena das turmas a partir do primeiro caso positivo,
  • colocação em quarentena preventiva de ciclos ou anos de estudo,
  • fecho da escola,
  • não frequência das atividades extra-escolares,
  • testing preventivo de toda a comunidade escolar,
  • no ensino secundário: ensino em alternância para todas as turmas, à exceção das turmas de 7.º e 1.º.
  • nas maisons relais: grupos de turmas fixas (os alunos da mesma turma não se misturam com alunos de outras turmas na maison relais).
O que acontece se houver um grande aumento de casos positivos entre os alunos a nível nacional?

O Governo pode decretar as seguintes medidas:

 

1) No ensino fundamental:

  • Limitação das aulas presenciais de manhã e aulas à distância de tarde.
  • Organização de um acolhimento antes e depois das aulas, até às 13h00 (sem refeição). As escolas continuam abertas de tarde para realizar atividades de apoio aos alunos em risco de abandono escolar.
  • Abertura de estruturas de acolhimento para os trabalhadores da linha da frente.
  • Fecho das maisons relais e foyers scolaires.

2) No ensino secundário:

  • Modelo em alternância com semanas A e B para todas as turmas, à exceção das turmas de 7.º  e de 1.º.
  • Limitação das aulas presenciais de manhã e aulas à distância de tarde (incluindo para as turmas de 7.º e de 1.º). Os liceus continuam abertos à tarde para realizar atividades de apoio aos alunos em risco de abandono escolar.
  • Fecho das cantinas escolares.

3) Suspensão das atividades presenciais extra-escolares

4) Fecho das atividades desportivas extra-escolares

5) Ensino à distância a nível nacional nas semanas anterior ou seguinte às férias escolares se a situação assim o exigir.

O que acontece se houver um caso positivo num curso da formação de adultos?

Se frequentar um curso da formação de adultos e tiver sido testado positivo, deve informar o organismo de formação.

Aos organismos da formação de adultos:

Se um formando ou um docente de seus cursos  presenciais informar que foi testado positivo à COVID-19, deve enviar um e-mail para covid19@men.lu. Neste e-mail, deve indicar o nome, o curso em questão e o último dia de contacto da pessoa testada positiva com outras pessoas do curso.

Os formandos do curso são informados pela direção da Saúde se estão de quarentena e recebem uma prescrição médica para a realização de teste.

Se um aluno de 1.º do ensino secundário for isolado depois de ter sido testado positivo, pode participar nos exames de conclusão de estudos?

Se o aluno faltar, no máximo, um dia, fará as provas em questão no dia da repescagem. O dia da repescagem acontece em inícios de junho.

Se faltar durante mais de um dia, o aluno fará as provas na sessão de outono, em meados de setembro.

Se um aluno de 1.º do ensino secundário estiver em quarentena após um contacto com uma pessoa positiva, pode participar nos exames de conclusão de estudos?

O aluno em quarentena pode pedir à Inspeção sanitária que levante a quarentena para a realização dos seus exames.

Os alunos em questão realizam os exames numa sala em separado dos outros candidatos.

Os alunos e quem os vigia recebem uma máscara FFP2.

Os alunos não devem usar os transportes públicos, nem contactar com os outros candidatos.

 

Última atualização